ad

Questões Mais Frequentes – Problemas

Problemas

Quando ao aplicar uma tinta de esmalte aparecem ''bolhas'', isto pode dever-se a um excesso de diluente ou à introdução de ar na tinta durante a preparação da mistura. Também pode dever-se a que a madeira sobre a qual se aplica não esteja completamente seca.
As ''bolhas'' vão reduzindo de tamanho quando a tinta vai secando, até desaparecer por completo. Para evitar este problema, é recomendável deixar repousar a tinta antes de a aplicar para que o ar desapareça.
As manchas amarelas, que às vezes aparecem depois de aplicar uma primeira demão de tinta acrílica, são manchas de bistre, estas são efeitos normais de produtos à base de água. É possível evitar este problema aplicando uma primeira demão de primário selante, porque bloqueia o fundo.
Normalmente esta situação ocorre quando a aplicação da tinta não foi a mais correcta e nas condições normais, por exemplo a tinta pode não ter sido bem espalhada, tendo originado, por isso, o escorrimento.
Para resolver este problema, siga as indicações abaixo:
  1. Depois de toda a superfície estar SECA, lixar com lixa fina até alisar a superfície.
  2. Limpe a área toda com um pano húmido para tirar o pó e deixe secar muito bem.
  3. Finalmente pode pintar novamente, poderá ter que pintar toda a superfície para não se notar as emendas.
Para resolver este problema terá que aplicar mais uma demão de tinta.
Tenha em atenção, que na hora de pintar uma divisão, e para que essa situação não aconteça, existem três factores a ter em conta:
  1. Diluição: Faça um diluição conforme indicado pelo fabricante, nunca junte mais água do que a indicada.
  2. Secagem: Respeito sempre o intervalo de tempo entre demãos.
  3. Opacidade: Existem tintas com menor poder de cobertura, e outras com maior. Para casos mais difíceis deve comprar um tinta com bom poder de opacidade.
Também possível saber, quando vai comprar a tinta, através dos sistemas tintométricos existentes nas lojas, se a cor tem pouca ou boa opacidade.
Tintas ou cores com pouca opacidade, têm maior dificuldade de cobertura, já com uma boa opacidade essa cobertura é boa, e normalmente 2 demãos são suficientes para uma parede ficar bem pintada.
Este problema acontece muitas vezes quando se têm crianças em casa, por isso não desespere e siga os seguintes conselhos:
  • Lave a área com um detergente neutro e suavemente.
  • Se a tinta que tiver nas paredes for de aspecto mate não as lave, pois as paredes podem ficar com manchas.
  • Se as suas paredes estão muito sujeitas à sujidade, ou têm crianças em casa, opte por uma tinta com elevada resistência (acrílica) e com algum brilho (acetinada ou brilhante), estas são mais laváveis e mais resistente à lavagem frequentes. Existem tintas no mercado exclusivamente para este fim.
  • Há riscos que são muito difíceis de remover e por vezes não se consegue retirá-los apenas lavando a parede. Nesses casos, deve dar uma demão de um primário branco isolador de manchas e depois pintar com a tinta resistente a lavagens frequentes.
Para saber um pouco mais sobre este assunto, leia o nosso artigo "Paredes Riscadas, e Agora Qual a Solução?"; aqui.
O salitre é um problema de resolução muito difícil, existem vários produtos e marcas que prometem resolver esta situação para sempre, mas infelizmente da publicidade à realidade vai uma grande diferença.
Por este problema ser muito específico não existe um tratamento que seja o ideal para todos os casos, cada caso é um caso e deve-se ter em atenção vários aspectos.
Como este é um problema complexo, com vários aspectos a levar em consideração, leia o nosso artigo "Salitre, Causas e Tratamento" para saber o que deve fazer aqui.
Os pontos negros são fungos que se desenvolvem devido à presença de elevados teores de humidade e fenómenos de condensação, por isso aparecem com maior frequência nas casas de banho, cozinhas, ou outras divisões da casa muito húmidas.
Para eliminar os fungos e voltar a pintar as paredes ou tectos proceda do seguinte modo:
  1. Para eliminar os fungos, deve utilizar uma solução de água e lixívia e lavar toda a área. A lavagem e desinfecção não devem limitar-se apenas à zona infectada, mas sim a toda a superfície. Também existem produtos próprios para este fim.
  2. Aplique um produto anti-fungos e algas em toda a superfície e deixar actuar pelo menos durante 24 horas.
  3. Após este período escove toda a área.
  4. Aplique uma demão de primário regularizador da absorção e promover a aderência da tinta.
  5. Pinte toda a área com uma tinta de qualidade (acrílica), e que seja lavável. Pode escolher entre uma tinta plástica ou um esmalte aquoso, acetinada ou brilhante, sendo que os esmaltes aquosos são mais resistente a lavagens frequentes.
Para ficar a saber um pouco mais sobre este problema, leia o nosso guia completo "como combater a humidade"; aqui.
Este tipo de situação pode ocorrer por diversos factores.
  • Primeiro, porque a tinta pode ter pouca resistência, ser de fraca qualidade.
  • Segundo, o produto de limpeza que usou pode ser abrasivo.
  • Terceiro, a limpeza da mancha pode ter sido feita quando a tinta ainda não estava totalmente seca.
Se as suas paredes estão muito sujeitas à sujidade, opte por uma tinta com elevada resistência (acrílica) e com algum brilho (acetinada ou brilhante).
  1. Aplicar um pouco de massa para paredes interiores, com uma espátula, na zona onde saiu a tinta.
  2. Deixar secar, no fim de estar seca passar uma lixa fina para ficar liso e com a mesma espessura da parte pintada.
  3. Pintar com a mesma tinta que usou para pintar essa parede, usando o mesmo tipo de rolo ou trincha.
  4. Se necessário dar uma segunda demão.
Importante: Fazer retoques é bastante complicado e é natural que nunca se consiga um resultado 100% igual à pintura existente, normalmente fica a notar-se alguma diferença no tom da tinta.
Se as paredes ficaram manchadas com o fumo de um pequeno incêndio, deve proceder do seguinte modo:
  1. Assegure-se que o tecto e/ou as paredes estão bem secas e coesas.
  2. Lave e limpe o máximo possível toda a área com um detergente neutro.
  3. Aplicar uma demão de primário apropriado para regularizar a absorção e promover a aderência da tinta.
  4. Finalmente aplique a tinta de acabamento com boa opacidade, em duas ou três demãos.
Se as suas paredes estão muito sujeitas a este tipo de exposição, opte por pintar com uma tinta com elevada resistência e com algum brilho, assim poderá limpá-las e/ou lavá-las com maior facilidade, sem correr o risco de estragar a pintura. Os esmaltes aquosos são as tintas mais indicadas nestes casos.
As fissuras são cortes superficiais que aparecem nas paredes, e que podem ser causadas por várias razões:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Movimentação da estrutura. Exteriores: Abrir a fissura com uma espátula, escovar e eliminar o pó. Aplicar massa de reparação adequada a superfícies exteriores, deixar secar e lixar. Aplicar um primário adequado e acabar com uma tinta flexível (membrana elástica), este produto acompanha a movimentação destas microfissuras e evita a infiltração de água pela fachada.
Interiores: Abrir a fissura com uma espátula, escovar e eliminar o pó. Aplicar massa de reparação adequada a superfícies interiores, deixar secar e lixar. Aplicar um primário conforme o suporte e acabar o trabalho com uma tinta plástica.
Tempo insuficiente da hidratação da cal antes da aplicação do reboco. O mesmo que em cima.
Ausência de cura pela ocorrência de vento ou calor excessivo. O mesmo que em cima.
Aplicação de areias inadequadas e ou contaminadas. O mesmo que em cima.
Este problema pode acontecer devido a várias causas, leia abaixo as possíveis causas e como resolver conforme a situação:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Uso de produtos incompatíveis. Remover toda a tinta, com lixagem ou decapagem e voltar a pintar com produtos compatíveis.
Má preparação da superfície, por exemplo falta de lixagem ou falta de primário. Lixar muito bem a superfície para que esta ganhe aderência, e aplicar o primário adequado conforme o tipo de superfície.
Uso de produtos inadequados para a superfície. Remover a tinta toda, usando lixa adequada ou decapagem, e voltar a aplicar um primário e uma tinta que sejam adequados para a superfície.
Superfície suja com óleos ou gorduras. Limpar muito usando os produtos de limpeza adequados conforme a superfície, lixar suavemente e voltar a aplicar um primário e uma tinta que sejam adequados para a superfície.
Falta de primário promotor de aderência. Em superfícies de difícil aderência (galvanizados, aço, zinco, alumínio), aplicar um primário de aderência ou uma tinta especial de aplicação directa a este tipo de superfícies.
Este problema pode acontecer devido a várias causas, leia abaixo as possíveis causas e como resolver conforme a situação:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Rolo ou trincha de má qualidade. Lixe a superfície e aplique uma nova demão de tinta com uma ferramenta adequada e de qualidade.
Produto indevidamente diluído ou falta de diluição.. Faça a diluição correcta da tinta, lixe a superfície e volte a pintar.
Utilização de diluente de evaporação muito rápida. Utilizar o diluente indicado pelo fabricante da tinta, lixe a superfície e volte a pintar.
Incorrecta pressão de pulverização da pistola. Ajustar a pressão da pistola, lixe a superfície e volte a pintar.
Podem surgir bolhas numa superfície tanto após a pintura, como em pinturas já efectuadas à algum tempo. Esta situação pode ter várias causas, veja abaixo o que pode ter acontecido e como resolver o problema:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Foi aplicada uma massa de reparação indicada para interiores em paredes exteriores. Retirar toda a massa com raspagem, aplicar massa de reparação indicada para exteriores e voltar a pintar.
Repintura sobre tinta de má qualidade, a humidade da tinta nova pode infiltrar-se na antiga e provocar bolhas. Lixar muito bem toda a superfície até retirar a tinta antiga, aplicar um primário adequado à superfície e após secagem voltar a pintar.
Devido a infiltrações nas paredes de água ou humidade. Normalmente acontece quando as paredes estão pintadas com tinta flexível (membrana elástica). Proceder às reparações adequadas para evitar novas infiltrações, deixar secar muito bem as paredes, lixar a área para retirar as bolhas, aplicar um primário adequado à situação e ao tipo de superfície e finalmente voltar a pintar.
Poeiras que não foram devidamente retiradas e eliminadas. Lixar as zonas afectadas, eliminar as poeiras, aplicar um selante e voltar a pintar.
Excesso de humidade nas paredes. Eliminar a humidade das paredes. Reparar as causas dessa humidade e depois de muito bem seca, aplicar o esquema de pintura mais indicado para o tipo de superfície.
Neste tipo de problema a tinta fica com a aparência de distorção ou encolhimento e acontece após secar. Isto pode acontecer devido a vários factores, veja abaixo as possíveis causas:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Aplicação de demãos demasiado espessas. Lixar a superfície afectada, limpar muito bem, e voltar a pintar nas condições adequadas.
A pintura foi feita sobre uma superfície demasiado quente. Lixar a superfície afectada, limpar muito bem, aplicar uma primário adequado ao tipo de suporte que estamos a trabalhar, e voltar a pintar apenas quando a superfície estiver à temperatura aconselhada pela marca da tinta.
Normalmente este problema pode surgir quando não se fez uma correta homogeneização da tinta.
Para resolver este problema terá que lixar toda a área - não basta uma parte - e voltar a pintar.
Importante: A tinta tem que ser muito bem mexida, usando-se uma espátula rectangular, e nunca com uma chave de fendas, ou outra ferramenta demasiado fina.
Normalmente dá-se a este tipo de problema o nome de "calcinação", e pode surgir devido a vários situações. Verifique abaixo as possíveis causas:

Pela alcalinidade natural da cal e do cimento que compõe o reboco, essa alcalinidade, na presença de um certo grau de humidade, reage com a acidez característica de alguns tipos de tintas. Lixar e escovar a superfície eliminando as partes soltas e degradadas, fazer as reparações necessárias com massa adequada, aplicar uma demão de primário isolante, e finalmente pintar. Degradação da tinta devido devido ás intempéries. Lixar e escovar a superfície eliminando as partes soltas e degradadas, fazer as reparações necessárias com massa adequada, aplicar uma demão de primário isolante, e finalmente pintar Degradação da tinta devido ao efeito dos raios solares. Lixar e escovar a superfície eliminando as partes soltas e degradadas, fazer as reparações necessárias com massa adequada, aplicar uma demão de primário isolante, e finalmente pintar
Este tipo de problema pode ocorrer devido a vários factores, veja na tabela abaixo algumas das situações que podem estar na origem deste problema:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
A tinta foi diluída em excesso. Diluir a tinta conforme indicado pelo fabricante, e voltar a pintar.
Falta de aplicação de um primário adequado, ou aplicação de um primário inadequado. Analisar o tipo de superfície e aplicar uma primário adequado à mesma, e voltar a pintar.
Cor de fundo muito forte. Aplicar uma demão de primário isolante branco, e voltar a pintar.
Número insuficiente de demãos. (Algumas tonalidades e produtos exigem um número maior de demãos, porque têm uma fraca opacidade. Aplicar mais demãos da mesma tinta.
Falta de homogeneização da tinta. Homogeneizar a tinta com uma espátula rectangular até o produto alcançar uma boa consistência, e voltar a pintar.
Superfícies muito absorventes, (reboco novo, gesso). Se o produto já foi aplicado, serão necessárias mais demãos. Se ainda não foi aplicado, aplicar previamente o primário indicado para este tipo de superfícies com a finalidade de uniformizar a absorção.
Cores amareladas, avermelhadas e com pigmentos magenta, e cores preparadas com concentrados a base de pigmentos orgânicos, necessitam de um maior número de demãos. Aplicação de um primário branco de grande opacidade, depois fazer o acabamento com a cor pretendida.
Utilização de rolo inadequado para a tinta. Aplicar a tinta com um rolo indicado para a tinta utilizada.
Em pistolas de pintura a pressurização foi incorrecta. Ajustar a pressão do ar da pistola de pintura e voltar a pintar.
Este tipo de problema pode ocorrer devido a vários factores, veja na tabela abaixo algumas das situações que podem estar na origem deste problema:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
A pintura foi feita sobre uma superfície demasiado quente. Retirar toda a tinta que foi aplicada com a ajuda de uma espátula, limpar muito bem a superfície, e aplicar uma primário adequado ao tipo de superfície que estamos a trabalhar, e voltar a pintar apenas quando as paredes estiverem à temperatura aconselhada pela marca da tinta.
Houve uma má preparação da superfície pintada. Retirar toda a tinta que foi aplicada com a ajuda de uma espátula, limpar muito bem a superfície, e aplicar uma primário adequado ao tipo de superfície que estamos a trabalhar e voltar a pintar.
A superfície estava contaminada com gorduras ou partículas sólidas soltas. Retirar toda a tinta que foi aplicada com a ajuda de uma espátula, limpar muito bem a superfície, e aplicar uma primário adequado ao tipo de superfície que estamos a trabalhar e voltar a pintar.
A pintura foi realizada com muita humidade retida. Deixar secar muito bem as paredes, retirar toda a tinta com a ajuda de uma espátula, limpar muito bem a superfície, aplicar uma primário adequado ao tipo de superfície que estamos a trabalhar e voltar a pintar.
Quando esta situação ocorre, normalmente resulta numa cobertura irregular da superfície. Isto pode acontecer devido a vários factores, veja na tabela abaixo as causas possíveis e como resolver o problema.

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Diluição excessiva da tinta. Diluir a tinta conforme indicado pelo fabricante. Se a tinta estiver húmida, passe o rolo novamente sobre o local de modo a uniformizar a superfície. Se já estiver seca, lixe a superfície e aplique uma nova demão de tinta.
Utilização de diluentes/solventes não indicados. Utilizar só o diluente indicado na embalagem da tinta. Se a tinta estiver húmida, passe o rolo novamente sobre o local de modo a uniformizar a superfície. Se já estiver seca, lixe a superfície e aplique uma nova demão de tinta.
Aplicação de uma camada muito espessa de tinta. Aplicar a tinta em camadas finas. Se a tinta estiver húmida, passe o rolo novamente sobre o local de modo a uniformizar a superfície. Se já estiver seca, lixe a superfície e aplique uma nova demão de tinta.
Aplicação da tinta com muito frio ou muita humidade. Aplicar a tinta sobre condições atmosféricas ideias, nem a baixo de 5ºC nem acima de 30ºC. Se a tinta estiver húmida, passe o rolo novamente sobre o local de modo a uniformizar a superfície. Se já estiver seca, lixe a superfície e aplique uma nova demão de tinta.
A este problema dá-se o nome de "fervura" e é caracterizado pelo aparecimento de microcrateras em toda a película da tinta aplicada. Este fenómeno pode acontecer devido a vários factores. Veja a tabela abaixo:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Aplicação da tinta em superfície muito quente, acima de 50º. Deixar a temperatura da superfície baixar. Lixar a zona afectada e voltar a pintar.
Utilização de um diluente muito volátil. Usar um diluente menos volátil. Lixar a zona afectada e voltar a pintar.
Espessura das camadas de tinta muito excessivas. Aplicar a tinta com a espessura das camadas conforme indicado na ficha técnica do produto. Lixar a zona afectada e voltar a pintar.
Falta de tempo para evaporação dos diluentes. Dar o tempo suficiente, entre demãos, a que os diluentes se evaporem devidamente. Lixar a zona afectada e voltar a pintar.
Esta situação pode dever-se a um dos factores abaixo descritos:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Uso inadequado de aditivos na tinta. Ver se a tinta apresenta estar em bom estado, ou se não foi nada adicionado à tinta. Lixar toda a área afectada, proceder à limpeza e voltar a pintar.
Utilização de produtos incompatíveis. Veja se os produtos (primário e tinta) são compatíveis entre si. Lixar toda a área afectada, proceder à limpeza e voltar a pintar.
A aplicação da tinta não foi feita de forma uniforme. Lixar toda a área afectada, proceder à limpeza e voltar a pintar adequadamente.
Os fungos constituem um grupo de seres vivos vegetais, que proliferam em condições favoráveis, principalmente em climas quentes e húmidos, mal ventilados ou mal iluminados. Produzem o escurecimento da película da tinta decompondo-a e são prejudiciais para a nossa saúde, podendo causar vários tipos de alergias.
O seu aparecimento nas paredes e tetos, normalmente nas casas de banho, cozinhas ou divisões mais húmidas e frias, pode dever-se à existência de humidade excessiva no ar, áreas mal ventiladas ou infiltrações.
Para se resolver este tipo de situação, deve-se proceder da seguinte forma:
  • Em primeiro lugar identificar qual o problema que está a causar o aparecimento dos fungos, e tratá-lo na sua origem, se for o caso.
  • Lavar a superfície com uma solução de água e lixívia.
  • Aplicar um produto anti-fungos e deixar actuar durante 24 horas.
  • Escovar a superfície toda.
  • Aplicar um primário anti-manchas.
  • Pintar com uma tinta apropriada à área, normalmente uma tinta acetinada ou esmalte aquoso, que são mais resistente a lavagens frequentes.
Esta situação pode ocorrer devido a vários factores, veja a tabela abaixo:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
Diluição errada da tinta aplicada. A diluição utilizada na tinta foi além da especificada na embalagem e a película formada pela tinta tornou-se frágil. Diluir sempre a tinta conforme indicado na embalagem ou na ficha técnica do produto.
Se o número de demãos não for suficiente, ou se o intervalo entre elas for muito curto, a película torna-se fraca, saindo com facilidade durante a limpeza. Aplicar a tinta conforme indicado na embalagem ou na ficha técnica do produto.
Qualidade da tinta aplicada Existem tintas, que devido à sua qualidade ou formula, não suportam lavagens. Para evitar isso, deve-se aplicar sempre tintas de boa qualidade, que possuam uma boa resistência a lavagens frequentes. Esta informação vem na embalagem dos produtos ou pode ser encontrada nas fichas técnicas destes.
Quando a tinta demora mais tempo do que o normal a secar, podemos estar perante um dos seguintes situações:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
O ambiente estar muito húmido. Pintar apenas quando o grau da humidade relativa do ar for inferior a 85%.
A temperatura do ar estar muito baixa. Pintar apenas quando a temperatura se encontrar acima dos 5ºC e abaixo de 30ºC.
Existirem contaminantes na superfície pintada. Lixar a superfície e limpar muito bem antes de pintar.
A tinta não foi agitada adequadamente. Agitar sempre a tinta até perfeita homogeneidade.
Este tipo de problema pode acontecer devido a uma série de factores, veja a tabela abaixo para tentar identificar a situação:

Causas Prováveis Possíveis Soluções
A aplicação da tinta não foi feita de forma uniforme. Lixar toda a área afectada, proceder à limpeza e voltar a pintar adequadamente.
Pintura com lotes de tintas diferentes. Não é indicado fazer uma pintura com tintas de lotes diferentes. Será necessária a aplicação de uma demão geral.
Falta de homogeneização da tinta. Isto ocorre devido à homogeneização incorrecta da tinta através da utilização de ferramentas cilíndricas, por exemplo chaves de fendas. Homogeneizar o produto com espátula rectangular, antes e constantemente durante a pintura. Não aplicar a tinta muito tempo após a homogeneização. Se o produto já foi aplicado e apresenta diferenças, será necessário aplicar mais uma demão geral.
Devido ao recorte. Recortes efectuados com produtos de embalagem de lotes diferentes. Recorte após secagem da tinta. Diluição em excesso da tinta utilizada para o recorte. Efectuar o recorte antes da aplicação da tinta em toda a parede, e com o produto da mesma embalagem. Recortar e preencher parede por parede. Se já ocorreu a diferença, será necessário aplicar uma demão geral.
Devido à absorção. Paredes com absorção diferente podem causar esta diferença de tonalidade. Aplicação de uma demão geral onde seja necessário nivelar as tonalidades.
Produto ainda húmido. Comparar a cor com o produto ainda em processo de secagem. Aguardar a secagem da tinta, no mínimo por 24 horas, para realizar a comparação.
Iluminação artificial do ambiente. A iluminação utilizada pode influenciar na tonalidade final do produto. Algumas lâmpadas são amareladas (dicróicas, halogenas, incandescentes), outras apresentam cores opacas (vapor metálico) e ainda há lâmpadas que podem tornar o ambiente avermelhado (mercúrio). Não há problema com o produto aplicado, portanto a solução é a troca do tipo de iluminação existente.
Possivelmente não foi aplicado um primário promovedor de aderência, isto é, um primário com características próprias que irá fazer com que a tinta de acabamento adira à superfície e não se solte.
Esta situação pode ocorrer devido à superfície dos azulejos serem vidradas, portanto, não porosas, e por essa razão a tinta não adere devidamente e solta-se com muita facilidade.

Não encontrou a resposta que pretendia? Então, envie-nos um e-mail com a sua questão.

Leia Também